Tocantins, 21 de agosto de 2019 - Mira Jornal - 00:00

Estado

DPE-TO reforça irregularidades do Hospital Geral de Palmas em Manifestação

16/07/2019 16h19

Defensoria Pública pede que, no prazo de 90 dias, o Estado sane as irregularidades já constatadas em vistorias

A Defensoria Pública do Estado do Tocantins, por intermédio do Núcleo Especializado de Defesa da Saúde (Nusa), apresentou Manifestação em Ação Civil Pública contra o Estado do Tocantins para que, no prazo de 90 dias, sane as irregularidades do Hospital Geral de Palmas (HGP). Problemas foram constatados em relatórios do Conselho Regional de Medicina (CRM). A Ação foi proposta, em março, conjuntamente com o Ministério Público Estadual (MPE).

Na Manifestação, o defensor público Arthur Luiz Pádua Marques, coordenador do Nusa, aponta que ainda permanecem parte das iniquidades trazidas na inicial, reforçando as informações já apresentadas na vistoria do CRM, como a necessidade de acomodação adequada aos pacientes que estão irregularmente alocados nos corredores do hospital. Conforme o Nusa, nos relatórios de vistoria do CRM/TO foram verificados 37 pacientes em corredores, que devem ser destinados a leitos dignos com acomodações adequadas nos termos dos regulamentos do Sistema único de Saúde (SUS).

A Manifestação pede, ainda, que o Estado regularize a falta de roupas privativas no centro cirúrgico e nos demais setores; realize a adequação da sala de recuperação pós-anestésica, que hoje funciona em ambiente improvisado; e regularize a disponibilidade dos medicamentos essenciais para o atendimento de parada cardiorrespiratória e anafilaxia nos carrinhos de emergência.

O documento também requer que seja fornecido no centro cirúrgico o dispositivo para cricotireostomia; e seja providenciado, imediatamente, uma sala para repouso médico com as devidas adequações e móveis necessários.

Outra demanda é o aumento da oferta da quantidade de leitos de internação do hospital, diante das várias constatações de que o hospital tem demanda maior que a capacidade, deixando pacientes em condições indignas; além da regularização imediata das cirurgias ortopédicas dos pacientes internados no hospital; e a retenção de camas de atendimento pré-hospitalar, com medida para solução da superlotação de pacientes além da capacidade.

Entendo o Caso

A ação foi proposta pela DPE-TO e MPE em 20 de março de 2019 com a finalidade de obrigar o Estado do Tocantins a corrigir as irregularidades detectadas pelo Conselho Regional de Medicina do Tocantins (CRM/TO) após fiscalização realizada no Hospital Geral de Palmas (HGP). A Ação conjunta alega que os problemas encontrados e a precária assistência submetem os usuários ao perigo de agravamento de seus quadros de saúde.
 (Da Ascom DPE-TO/Cinthia Abreu)

   

Comentários (0)

  • Nenhum comentário publicado. Clique aqui para comentar.

Enquete

QUAL O MELHOR CAMINHO PARA ELUCIDAR O CRIME QUE MATOU MOISÉS COSTA ?

Mais vídeosVideo Mira

MIRACEMA DO TOCANTINS, 71 ANOS !

No próximo dia 25 de agosto, a primeira capital do Tocantins
completa 71 anos de emancipação politica.

Miracema do Tocantins conquistou sua independencia de Santa Maria do Araguaia, atual Araguacema, em 25 de agosto de 1.948.

PARABÉNS MIRACEMA !


Inusitada Produções
O projeto "Miracema em 4K" tem como objetivo fazer diversos registros da primeira capital do Tocantins sob uma nova ótica, através de novas tecnologias de captação audiovisual.
Apoio Cultural
MIRA Jornal

Comente

  • Maria Pereira
    20/08/19 18h53
    Tem políticos que estar se achando com pesquisas fracas, dizendo que estão bem colocados, caíam nessa vai achando que...
  • José Professor
    16/08/19 11h31
    Pouco saio de casa.Após as 19 h então é quase impossível.Aliás, "veio, moco e troncho" tem mais é que ficar...
  • José Professor
    16/08/19 09h55
    Vi, li, escrito em uma ambulância municipal:"Todos juntos por uma Miracema melhor." Fiquei surpreso visto...
VER TODOS OS COMENTÁRIOS

Jornal Impresso

Em Breve
2010 c Mira Jornal. Todos os direitos reservados.