Tocantins, 25 de abril de 2018 - Mira Jornal - 00:00

Municípios

Legislativo de Miracema questiona Investco sobre descaso com a Serra do Lago

10/04/2018 12h03

Foto: Osterno Parrião
Na sessão ordinária desta segunda-feira, 9, os vereadores da primeira capital do Estado discutiram a situação dos chacareiros da Serra do Lago, antigo Lajeadinho.

Um requerimento feito em conjunto pelos vereadores, Edilson Tavares/MDB, presidente da Câmara Municipal e Núbio Gomes/PSD, líder da legenda na Casa, aprovado por unanimidade, solicita a Investco que faça o repasse da área que fica a cerca de 4 km da barragem da Hidrelétrica LEM (Lajeado) em definitivo para o Município. A propositura foi subscrita ainda pelos vereadores Natan Fontes, Irmão Didan, Cirilo Douglas, Branquinho do Araras e Pedro da farmácia.

Foto: Osterno Parrião


O presidente da Associação dos Chacareiros da Serra do Lago, conhecido por Lelo Gás, participou da Tribuna Livre da Câmara, quando denunciou o descaso da Investco e agradeceu os vereadores pelo apoio aos moradores ao encampar a luta dos chacareiros.

De acordo com Tavares, na época da construção da Usina Hidrelétrica LEM (Luiz Eduardo Magalhães), à esquerda do Rio Tocantins, no território de Miracema do Tocantins, quando também foi realocado pela Investco, a empresa que administra a UHE teria proposto aos posseiros três opções para desocupação: valor em dinheiro (considerado irrisório pelos ocupantes); uma residência na cidade; área no assentamento denominado posteriormente de Mundo Novo (antigo Mearim). A área não inundada pela formação do lago seria devolvida ao Município. “São muitas responsabilidades que a Investco deixou de cumprir”, disse o presidente, comparando com as responsabilidades que a BRK Ambiental vem cumprindo na cidade e acrescentou: “A Investco é uma empresa e visa lucro”, citando que a energia elétrica produzida em Miracema que, devido à captação de impostos, é transmitida para outros locais e volta para abastecer o município, “ao invés de vir direto, barateando os custos”, questionou.

Foto: Osterno Parrião


Edilson Tavares/MDB, presidente da Câmara Municipal 

O líder do prefeito na Casa, vereador Natan Fontes/MDM, que “Nas gestões passadas podem ter usado a ‘mala preta’, fazendo referencia Há algum recurso financeiro que o município possa ter recebido em não transformado em benefícios para a população.

Os demais vereadores também demonstraram indignação com o descaso que a Investco vem promovendo aos chacareiros. Núbio Gomes lembrou que existe a proposta dos chacareiros para que a empresa venha promover condições de plantio e piscicultura, entre outros. Pedro da Farmácia/PRB, Branquinho do Araras/PT e Adilson do Correntinho/PV, solidarizaram-se com os chacareiros e abraçaram a causa do povoado mais antigo do município, criando ainda na década de 20. O vice-presidente Irmão Didan/PSB lembrou que na época, moradores do PA Irmã Adelaide também receberam propostas e sofreram descasos. Didan concordou com o colega Natan, especulando que “na gestão da época alguém recebeu recursos e não teve preocupação de trazer beneficio para a comunidade”. Também os vereadores Dr. Ricardo/PSD, Cirilo Douglas/PRP e Maria Bala/PSL, colocaram-se à disposição para lutar pelos chacareiros. O vereador Nasci da Ótica/PSD, que teve ausência justificada, predispôs-se a juntar-se aos pares para resolver a questão.

O presidente da Casa ordenou que a assessoria parlamentar da Mesa Diretora fizesse um oficio convocando a Investco para comparecer na Câmara a fim de explicar o que está ocorrendo com o processo de repasse da área para a Prefeitura e o descaso imposto aos chacareiros ainda estabelecidos na área, assim como os posseiros realocados.

No antigo Lajeadinho residiam 22 famílias ameaçadas de alagamento pela formação do lago. Quinze foram realocadas e sete decidiram permanecer no local, guardando o repasse para o Município para terem suas áreas regularizadas.

   

Comentários (0)

  • Nenhum comentário publicado. Clique aqui para comentar.

Mais vídeosVideo Mira

Dona Ivone Lara canta Acreditar e Sonho Meu no SR Brasil

cantora Dona Ivone Lara, de 97 anos, morreu na noite desta segunda-feira (16), no Rio de Janeiro, por conta de um quadro de insuficiência cardiorrespiratória. Ela estava internada desde sexta-feira (13), data em que completou 97 anos, no Centro de Tratamento e Terapia Intensiva (CTI) da Coordenação de Emergência Regional (CER), no Leblon, na Zona Sul da cidade.

Comente

  • Jonas Abreu
    19/04/18 23h06
    Não ativamos propaganda política extemporânea
  • Dadinha
    13/04/18 14h11
    Os créditos pela idealização do projeto, sem dúvidas e do nosso amigo thaller, agora não se pode negar de forma...
  • SSP TO
    08/04/18 11h53
    FELIZ DIA DO JORNALISTA! Neste 07 de abril, homenageamos todos os jornalistas por seu compromisso social diuturno...
VER TODOS OS COMENTÁRIOS

Jornal Impresso

Em Breve
2010 c Mira Jornal. Todos os direitos reservados.