Tocantins, 19 de janeiro de 2019 - Mira Jornal - 00:00

Estado

Elucidação do assassinato de Moisés Costa é convertida em 'prioridade das prioridades' pela Secretaria de Segurança Pública do Estado

10/01/2019 10h02

Miracema pede justiça ao novo secretário de Segurança Pública; família do prefeito morto reclama das especulações que aterrorizam a população

Uma comitiva formada por familiares e amigos do ex-prefeito de Miracema do Tocantins, Moisés Costa da Silva, assassinado aos 44 anos, com requintes de crueldade e abandonado em seu próprio carro numa estrada vicinal em Miranorte, dia 30 de agosto do ano passado, foi recebida na tarde desta quarta-feira, 9, pelo novo titular da Secretaria de Segurança Pública (SSP), Cristiano Barbosa Sampaio e delegados que atuam na elucidação do crime que comoveu o estado e teve repercussão nacional.

JCA/MIRA Celular


Reivindicada pelos deputados Stalin Bucar/PR e Nilton Franco/MDB e ainda o pelo presidente da Câmara Municipal de Miracema Edilson Tavares/MDB, com objetivo de pedir celeridade nas investigações e demonstrar a confiança da população no empenho da Policia Civil, a comitiva formada por representantes de diversos segmentos do município deixou a sala de reunião da secretaria já no final da tarde, satisfeita com as informações prestadas e feliz pela classificação do caso como ‘prioridade das prioridades’.

A comitiva miracemense foi composta por Camila Fernandes, viúva de Moisés da Sercon, como era conhecido o prefeito eleito com mais de 84% dos votos; os irmãos Fidel Costa, Luiz Costa e mais quatro irmãs do ex-prefeito; os vereadores Núbio Gomes e Natan Fontes; o advogado da família e ex-procurador geral do município Flavio Suarte; o ex-comandante da 6ª CIPM Cel. Márcio Bandeira; o bispo da Diocese de Miracema Dom Philip Dickmans; e o presidente do Conselho de Pastores e Ministros Evangélicos de Miracema, Pr. Marcelo Borges; além dos deputados estaduais Stalin Bucar e Nilton Franco e o presidente do Legislativo da primeira capital, Edilson Tavares.

A audiência começou por volta das 15h30, quando o secretário Cristiano, acompanhado pelo delegado-geral da Policia Civil, Rossilio de Sousa Correia e ainda Dr. Claudio, Dr. Ismael e Dra. Raimunda, fez um relato sobre sua experiência nas policias civil e federal e disponibilizou a palavra para os integrantes da comitiva.

Autor de diversas proposituras na Assembleia Legislativa do Tocantins solicitando urgência na elucidação do crime, o deputado Stalin Bucar/PR, fez um histórico sobre o que é de conhecimento da família e amigos de Moisés, comentou sobre as especulações advindas da falta de informações e do estado de comoção convivida pela população miracemense e tocantinense em geral.

JCA/MIRA Celular


Stalin ainda comentou sobre um episódio que culminou com a morte de um irmão, cuja autoria já é de conhecimento público, mas que a policia não apresentou, ainda, elucidação do crime. O deputado, na oportunidade, falou sobre um atentado contra o prefeito de Novo Acordo, acontecido ainda naquela tarde. “Acabaram de dar um tiro na cabeça do prefeito Dotozim de Novo Acordo”, disse, provocando exclamação nos presentes.

Também o deputado Nilton Franco/MDB discorreu sobre a necessidade urgente de apresentar a motivação e autoria do crime, destacando o sofrimento da família, assim como o Bispo Dom Philip que procurou amenizar o clima de ansiedade e lembrando que Moisés Costa era um home de fé e que "também precisaamos da fé para ver tudo solucionado."

O Coronel Márcio, como é conhecido o militar reformado, teceu comentários sobre a compreensão do ‘segredo de justiça’ e sua necessidade para elucidação do crime e que confia e acredita no trabalho da Policia Civil, desejando sucesso para o novo titular da SSP. Avaliação ratificada pelo advogado Flavio Suarte que ainda ilustrou relatando que a população em geral não entende que a apuração precisa de consistência para ser acatada pela justiça. Suarte, ainda fazendo referencia a especulações populares, questionou sobre a possibilidade do secretário recorrer a Policia Federal.

Já o presidente da Câmara Edilson Tavares/MDB fez um relato sobre o caráter e postura profissional e familiar de Moisés, sua luta para realizar sonhos de progresso e desenvolvimento para a comunidade. Lembrou que Moisés era muito querido pela população e “continua sendo após sua morte”. Destacou o alto percentual de votação conquistada pelo amigo que chama de ‘eterno prefeito de Miracema’, e as realizações de obras prometidas por seus antecessores.

O irmão mais velho de Moisés, o publicitário e ‘marketeiro’ Fidel Costa, também falou sobre o sofrimento da família e o clamor pela solução do crime, ressaltando que “não por vingança, mas por justiça”. Fidel lembrou que o irmão teve mais de 84% dos votos, “o maior índice do Estado e um dos maiores do Brasil” e em sua gestão vinha derrubando barreiras, realizando sonhos e organizando o município.

Um momento que emocionou os presentes foi quando a viúva Camila Fernandes falou sobre a perda do marido, de forma precoce e trágica. Falou que constantemente procura informações com os delegados que atual no caso, sobre os boatos e especulações de populares. Sem conseguir conter as lágrimas Camila pediu maior rapidez na elucidação, lembrando que foi orientada a promover investigação paralela, mas que confia na policia civil do Tocantins e pediu ao novo delegado para intensificar as investigações.

A VOZ DA POLICIA
Demonstrando grande capacidade de ouvidor e de forma explicativa, respondendo às colocações feitas por cada membro da comitiva, o delegado da Policia Federal desde 2003 e que recentemente exerceu o cargo de secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Cristiano Bezerra Sampaio, informou que já conhece o conteúdo das investigações, apontando para uma pilha de documentos com cerca de trinta centímetros de altura que estava sob a guarda do Delegado Ismael, que no momento substituía Dr. Guido Camilo Ribeiro no comando da investigação.

JCA/MIRA Celular


A viúva Camila e irmãs de Moisés coversam com o delegado Irmael abraçado a documentação da investigação.

Ratificando o que a Policia vem repetindo ao logo desses três meses de investigação, o secretário disse que “não podia adiantar nada do caso para não atrapalhar as investigações que já estão bastante avançadas”, mas deixou entender que já existia uma trilha investigativa concreta que poderia levar à elucidação do crime.

Sobre a eventual participação da Policia Federal (PF) na investigação, o secretário lembrou que homicídio não é comum ser investigado pela PF, mas acredita na competência de seus comandados e que o caso será elucidado e entregue a justiça para os devidos procedimentos. Muito embora o secretário não tivesse descartado, se necessário, até para efeito de acesso a tecnologia, não hesitaria em solicitar o apoio, citando seu excelente relacionamento com a instituição federal.

Dr. Cristiano ainda tranqüilizou os políticos da cidade, em referencia a preocupação levantada pelos deputados e vereadores presentes, a respeito do receio em sair às ruas, quando muitas vezes são solicitados por munícipes para um socorro de qualquer natureza. O secretário assegurou que as investigações não apontam alguma possibilidade de preocupação e que avaliou o trabalho que está sendo feito e acha que a partir de comprovações a autoria do crime será revelada.

O delegado-geral da Policia Civil, Rossilio de Sousa Correia ressaltou que a linha de investigação está bastante adiantada e que não pode passar informações para não atrapalhar a conclusão com a busca de provas. Dr. Rossilio teceu comentários sobre uma investigação que sentiu vontade de informar aos familiares, mas a responsabilidade profissional não permite antecipar resultados, e logo que a equipe obteve as provas necessárias, foi possível indiciar e prender o culpado.

Já no final da tarde a audiência foi encerrada, quando a família Costa agradeceu a compreensão da equipe liderada pelo secretário e externou a confiança na agilidade e elucidação do caso, enquanto os policiais ratificaram que a elucidação da morte do prefeito Moisés, foi convertida em “prioridade das prioridades”.

POLICIA CIVIL
A Polícia Civil conta hoje, com efetivo de 1.789 policiais civis em atuação, 1.604 deles distribuídos entre agentes e escrivães que possuem formação técnico-jurídica de qualidade.

SECRETÁRIO
O novo secretário de Estado da Segurança Pública (SSP), Cristiano Barbosa Sampaio, é formado em Direito pela Universidade Federal da Bahia, delegado da Polícia Federal desde 2003 e foi secretário estadual da Segurança Pública do Distrito Federal até dezembro de 2017. Ele também já atuou como superintendente regional da Polícia Federal no Maranhão, coordenador nacional da Segurança da Copa do Mundo 2014 e coordenador da Segurança dos Jogos Olímpicos Rio 2016.
Cristiano Sampaio ressaltou a atuação da Polícia Civil no Tocantins e afirmou que vai trabalhar de maneira unificada com as demais forças de segurança do Estado.
(Da Redação/MIRA Jornal)
 

   

Comentários (0)

  • Nenhum comentário publicado. Clique aqui para comentar.

Mais vídeosVideo Mira

Retrospectiva das músicas 2018

Músicas INTRO INICIO: Imagine Dragons - Whatever It Takes

Comente

  • José Oliveira Martins
    12/01/19 07h56
    Estava eu, neste mesmo instante, lendo, pela internet, reportagens diversas nos jornais nacionais. Quanta violência e...
  • José Oliveira Martins
    03/01/19 10h28
    A postagem colocada sob o pseudônimo "pessoa do bem" está correta. Só faltou citar os vereadores que se...
  • Pessoa do bem
    01/01/19 17h42
    Eu gostaria de saber onde podemos pedir ajuda para trazer segurança pra miracema, estamos sendo roubados todos os...
VER TODOS OS COMENTÁRIOS

Jornal Impresso

Em Breve
2010 c Mira Jornal. Todos os direitos reservados.