Tocantins, 07 de julho de 2020 - Mira Jornal - 00:00

Policia

JUSTIÇA (CONTINUA) CALADA/Um ano e dez meses sem Moisés da Sercon

30/06/2020 00h15

Por que o crime que tirou a vida do prefeito de Miracema do Tocantins, Moisés (da Sercon) Costa continua sem elucidação ?

Passaram-se um ano e nove meses – exatos 665 dias – sem que a justiça do Tocantins apresentasse o autor e a motivação do crime que tirou a vida de um jovem prefeito, Moisés Costa, conhecido por Moisés da Sercon - de apenas 44 anos - eleito por mais de 84% do votos da primeira capital do Estado.

Arquivoi/MIRA


Moisés da Sercon, com os fiéis amigos, Edilson Tavares, presidente da Câmara e Dagoberto Machado,
então secretário de Administração.


A partir de 1988, quando foi criado o Estado do Tocantins, Miracema, até então do Norte, foi transformada em capital do mais novo estado da federação. Na época era administrada por Sebastião Borba, que renunciou empossando seu vice Osmar Barbosa. Em seguida Boanerges Moreira de Paula, volta para administrar o município pela terceira vez, sendo sucedido pelo produtor rural Giordani Rotta. Em sequencia: Rainel Barbosa; Júnior Evangelista, por dois mandatos; Magda Borba; Moisés Costa, assassinado em 30 de agosto de 2019, sendo sucedido pelo seu vice, Saulo Milhomem.

Para a família e pessoas ligadas ao prefeito a motivação do crime é óbvia: Moisés interrompeu um ciclo alternativo na política do município; realizou obras prometidas há décadas em palanques; transformou dívidas de fornecimento e distribuição de água, em ampliação da rede, canalização de água e esgoto e pavimentação asfáltica, para todos os setores da cidade, iniciada pelo setor Santa Filomena; acionou judicialmente e conseguiu, sob empenho de maquinas e veículos, tributos municipais não recebidos; e combateu e renegociou dívidas trabalhista deixadas, através de ONGs (Organização Não Governamental), outrora integradas à administração municipal; entre outros fatores em investigação.

Moisés foi assassinado com requinte de crueldade numa estrada vicinal após, supostamente, ter sido seqüestrado quando saia da prefeitura de Miranorte, a 22 km da cidade que administrava desde 1º de janeiro de 2017.

Embora com residência própria em Miracema do Tocantins, Moisés da Sercon era ainda proprietário de um escritório de contabilidade (Sercon), mas o crime teria ocorrido na divisa entre Miranorte e Rio dos Bois, onde o corpo foi encontrado dentro de sua caminhonete com perfuração de bala na cabeça, razão pela qual a investigação teria base investigativa na cidade da ocorrência e em Palmas, sede estadual da Policia Civil.

Segundo o irmão mais velho de Moisés da Sercon, o marketeiro Fidel Costa, o inquérito teria sido enviado ainda no inicio deste ano, para o Tribunal de Justiça, após passar por dois desembargadores, e reenviado para o juiz de Miranorte, “o inquérito depende somente da deliberação do juiz da cidade onde aconteceu o crime, para ter continuidade e elucidação”, observou Fidel.


   

Comentários (0)

  • Nenhum comentário publicado. Clique aqui para comentar.

Mais vídeosVideo Mira

CASO QUEIROZ: O QUE SE SABE ATÉ AGORA E ATÉ ONDE AS INVESTIGAÇÕES PODEM CHEGAR

Com a prisão de Fabrício Queiroz, dia18, no sítio de Frederick Wassef em Atibaia, as investigações envolvendo o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro entram em uma nova etapa. Os repórteres Flávio Costa e Herculano Barreto Filho contam o que se sabe até agora sobre o caso e quais rumos essa investigação pode tomar.

Comente

  • Jorge Brás
    12/06/20 01h15
    quantos desmandos se vê por ai e ninguém faz nada. Festinha em fazendas, churrasco em chácara e tá tudo bem.
  • José Professor
    10/06/20 10h02
    Posso até estar errado na minha maneira de pensar ao constatar que grande parcela da população é imune a ÉTICA e...
  • Hevandro Carvalho
    08/06/20 12h04
    Gostaria que o site pudesse fazer uma reportagem sobre a história dos vice-prefeitos de Miracema.é possivel caro editor?
VER TODOS OS COMENTÁRIOS

Jornal Impresso

Em Breve
2010 c Mira Jornal. Todos os direitos reservados.