Tocantins, 19 de janeiro de 2019 - Mira Jornal - 00:00

Estado

Pesquisa Faspra-TO mostra que 62,3% relataram já terem sido vítimas de assédio moral

02/11/2018 20h31

DENÚNCIAS DE ASSÉDIO SEXUAL E MORAL NO CORPO DE BOMBEIROS É PROTOCOLADA NO MPE

A Associação das Mulheres Policiais do Estado do Tocantins (AMP-TO), com auxílio da Federação das Associações de Praças Militares do Estado do Tocantins (Faspra-TO), realizou uma pesquisa neste mês de outubro, junto aos bombeiros do Estado, e identificou casos de assédio moral e sexual dentro da instituição.

Participaram da pesquisa, de maneira voluntária e sigilosa, 183 bombeiros. Deste total, 62,3% confirmaram já terem sofrido assédio moral no ambiente de trabalho, e outros 11,5% assédio sexual. Os dados foram apresentados na manhã desta quarta-feira, 31, na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-TO), durante coletiva de imprensa.

A pesquisa mostrou que 69% sofriam de alguma doença crônica e apontaram o trabalho como possível causa. O estresse foi apontado como a segunda doença que mais afeta os componentes da corporação. Dos bombeiros militares que afirmaram sofrer de algum transtorno psíquico, 24,6% apontaram a depressão como sendo essa doença.“As mulheres, apesar de estarem em menor quantidade dentro da corporação, são as que mais sofrem assédio, seja moral ou sexual”, disse a responsável pela pesquisa e presidente da AMP-TO, Giovanna Nazareno.

DENÚNCIAS DE ASSÉDIO SEXUAL E MORAL NO CORPO DE BOMBEIROS É PROTOCOLADA NO MPE

O vice-presidente da Federação das Associações das Praças Militares (FASPRA), Everton Cardoso Dias, juntamente com o advogado Robson Tiburcio, protocolaram na tarde desta quinta-feira, 1°, no Ministério Público Estadual, denúncias de assédio sexual e moral no Corpo de Bombeiros do Tocantins.

No documento entregue foi apresentado um CD constando depoimento das vítimas, notícias veiculadas na imprensa escrita, televisiva e digital. “A importância de protocolar este documento é justamente formalizar tudo o que foi apresentado na entrevista coletiva e também no Seminário, para que o Ministério Público analise a questão e, a partir de então, o Promotor de Justiça, Fábio Langue, possa começar a investigar o caso, dando assim mais segurança aos profissionais e à população”, explicou o advogado, Robson Tiburcio.

Entenda

 A Associação das Mulheres Policiais do Estado do Tocantins (AMP-TO), com auxílio da Federação das Associações de Praças Militares do Estado do Tocantins (FASPRA-TO), realizou uma pesquisa neste último mês de outubro, junto aos bombeiros do Estado, e identificou casos de assédio moral e sexual dentro da instituição. Participaram da pesquisa, de maneira voluntária e sigilosa, 183 bombeiros. Deste total, 62,3% confirmaram já terem sofrido assédio moral no ambiente de trabalho, e outros 11,5% assédio sexual. Os dados foram apresentados na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-TO), durante coletiva de imprensa.

A pesquisa culminou no I Seminário sobre a Saúde Mental dos Profissionais das Forças de Segurança do Estado do Tocantins. O evento, que teve a presença de diversos palestrantes, foi aberto ao público e teve como objetivo debater o assunto e inibir novos casos de assédio dentro das Forças de Segurança do Estado.
(Da Faspra-TO)

   

Comentários (0)

  • Nenhum comentário publicado. Clique aqui para comentar.

Mais vídeosVideo Mira

Retrospectiva das músicas 2018

Músicas INTRO INICIO: Imagine Dragons - Whatever It Takes

Comente

  • José Oliveira Martins
    12/01/19 07h56
    Estava eu, neste mesmo instante, lendo, pela internet, reportagens diversas nos jornais nacionais. Quanta violência e...
  • José Oliveira Martins
    03/01/19 10h28
    A postagem colocada sob o pseudônimo "pessoa do bem" está correta. Só faltou citar os vereadores que se...
  • Pessoa do bem
    01/01/19 17h42
    Eu gostaria de saber onde podemos pedir ajuda para trazer segurança pra miracema, estamos sendo roubados todos os...
VER TODOS OS COMENTÁRIOS

Jornal Impresso

Em Breve
2010 c Mira Jornal. Todos os direitos reservados.