Impresso em: 16/09/2019 09:15:39
Fonte: http://www.mirajornal.com/noticia.php?l=f287cafa25370771defea337692cc12c

Polícia Civil deflagra Operação Veneno e prende cinco pessoas em Lagoa da Confusão

05/08/2019 08:24:36

Segurança Pública/Governo do Tocantins
Operação da Deic Palmas mobilizou mais de 30 policiais civis de várias unidades policiais, como Gote e Diretoria de Inteligência da SSP
A Polícia Civil do Tocantins prendeu em flagrante pela suposta prática de integração de organização criminosa, em um hotel no centro da cidade de Lagoa da Confusão, cinco homens com iniciais L.P.F., E. F., W.H.S.S., R.P. e V.A.S., os quais estavam sendo monitorados por policiais civis desde o dia 19 de julho deste ano, pelo planejamento do roubo de defensivos agrícolas na cidade.

A Operação Veneno, como foi denominada, foi coordenada pela Diretoria de Repressão ao Crime Organizado e Combate à Corrupção (Dracco), por intermédio da Delegacia Especializada em Investigações Criminais (Deic), de Palmas, com apoio da Deic-Paraiso do Tocantins, do Grupo de Operações Táticas Especiais (Gote) e Delegacia de Lagoa da Confusão. O delegado responsável pela operação, Wanderson Chaves de Queiroz, ressaltou que o inquérito foi iniciado por meio de informações de inteligência recebidas pela Deic-Palmas, e que o avanço das investigações demonstrava que os suspeitos estavam de fato organizados estruturalmente com divisões de tarefas muito bem determinadas e que vieram de outros estados e planejavam roubar defensivos agrícolas, material que tem grande valor agregado e é bastante utilizado nas lavouras da região.

Ainda segundo o delegado, a Operação Veneno foi deflagrada antes da execução do roubo por parte dos investigados, como forma de garantir a integridade física de funcionários das fazendas que seriam alvo, pois em assaltos dessa natureza a prática é tomar os funcionários como reféns.

Com os suspeitos também foram apreendidos dois veículos, alem de materiais como luvas e um binóculo, os quais possivelmente seriam utilizados na execução do crime.

A participação de outros envolvidos não está descartada e as investigações continuam para sua identificação. Os presos, após autuado, serão colocados à disposição da Justiça. 
(Da Ascom SSPTO/Camilla Negre)