Tocantins, 04 de junho de 2020 - Mira Jornal - 00:00

Câmara de Miracema adquire veículo para melhor atender a comunidade

Câmara de Miracema adquire veículo para melhor atender a comunidade

quarta, 22 de março de 2017, às 12h 43min
Veículo vai encurtar distancias e ajudar no exercício da vereança

Quando assumiu a Câmara Municipal de Miracema do Tocantins, em 1º de janeiro, o vereador Edilson Tavares/PMDB, de acordo com o Relatório de Transição, enviado para o Tribunal de Contas da União (TCE), encontrou uma Casa de Leis, com inúmeros problemas de ordem física, logística e documental, tanto que, para resguardar a nova legislatura, todos os vereadores decidiram enviar cópias do Relatório para o Ministério Público e ainda para a Policia Federal.

Na ocasião, foi encontrado na Câmara um velho carro, já sem condições de tráfego.

Entre outras medidas que a atual legislatura vem promovendo, como consertos na reforma do prédio feita ainda no ano passado, a aquisição de um veículo digno para o Parlamento fez-se necessário, em caráter de urgência. “Miracema é um município muito grande, com muitos assentamentos, além da própria zona rural, que precisamos estar presente atendendo a comunidade”, disse o presidente.

Foto: Ostenio Parrião


Vereadores: Nasci da Ótica, Cirilo Douglas, presidente Edilson Tavares, Branquinho do Araras, Maria Bala, Adilson do Correntinho e Irmão Didan. No momento do registro fotográfico, os vereadores Natan Fontes, Núbio Gomes e Dr. Ricardo estavam fazendo atendimento a comunidade fora da Câmara Municipal.

De acordo com Tavares o veículo foi adquirido à vista, graças à gestão que vem exercendo, sem excessos e com bastante responsabilidade. “Sempre vou procurar não fazer dívidas. Temo que nos adequar a realidade. Além do mais, tenho responsabilidade e um nome a zelar. Não que ser mais um presidente na lista do TRE”, disse.

Foto: Ostenio Parrião


Presidente Edilson apresenta o carro oficial do Legislativo

Na sessão da última segunda-feira, 20, os vereadores utilizaram a Tribuna para, além de defenderem suas proposituras, tecer elogios ao presidente Edilson Tavares pela forma como vem conduzindo a Casa de Leis.

O PREFEITO CARLOS AMASTHA ESTÁ FALTANDO COM A VERDADE!

O PREFEITO CARLOS AMASTHA ESTÁ FALTANDO COM A VERDADE!

quinta, 05 de janeiro de 2017, às 22h 57min
O PrefeitoCarlos Amastha, não está falando a verdade para a sociedade Palmense.

É a Prefeitura quem, mais contribui, para que exista um défice imobiliário em Palmas.


É terrivelmente difícil se macro ou micro parcelar uma área em Palmas,em face de tantos entraves burocráticos colocados e de flagrantes ilegalidades praticadas pela Prefeitura, para impedir que o proprietário dê o fim social à sua área, a macro ou micro parcelando.

A Prefeitura é o problema gerador do alto custo dos lotes à venda na capital, bem como a culpada pela escassez de lotes, criando um défice habitacional, que aumenta o preço dos lotes à venda. É a velha lei de oferta e procura.

O prefeito Amastha ao invés de ser o polo moderador da questão, conciliando as partes, agride constantemente os proprietários - de maneira irresponsável e leviana – criando conflitos desnecessários e abusando do seu poder de Prefeito, enfim,não CUMPRINDO a Lei Federal 10.257/01, que em seu Art. 2o, item III, assim determina:– “cooperação entre os governos, a iniciativa privada e os demais setores da sociedade no processo de urbanização, em atendimento ao interesse social”.

Parece que o Prefeito, não conhece a lei 10.257/01, que rege a questão urbana como um todo e, portanto, é quem não cumpre o que determina o Art. 5º da referida Lei Federal, que assim especifica:“Lei municipal específica para área incluída no plano diretor poderá determinar o parcelamento, a edificação ou a utilização compulsórios do solo urbano não edificado, subutilizado ou não utilizado, devendo fixar as condições e os prazos para implementação da referida obrigação e, em seu § 2º assim especifica: ”O proprietário será notificado pelo Poder Executivo municipal para o cumprimento da obrigação, devendo a notificação ser averbada no cartório de registro de imóveis”.

O IPTU progressivo SÓ PODE SER APLICADO se o proprietário não tomar a iniciativa de micro parcelar área e se a Prefeitura atinar para o que determina a Lei, acima especificado. FORA DISSO É ABUSO DE PODER!  

Ocorre que em Palmas, a quase totalidade dos proprietários busca a Prefeitura para macro ou micro parcelar suas áreas e, ao invés de serem apoiados, passam a sofrer todo tipo de entrave e pressões, para que não consiga macro ou micro parcelar suas áreas, chegando ao absurdo de cancelar ILEGALMENTE macro parcelamento, já judicializado, devidamente registrado no CRI de Palmas e de forma unilateral, sem ouvir o contraditório, o que é ilegal e caracteriza NULIDADE PLENA DO ATO ILEGAL. Uma verdadeira aberração jurídica!

O IPTU progressivo tem como função obrigar, quem não quer lotear suas áreas, a fazê-lo. MAS TEM DE CUMPRIR O DETERMINADO NA LEI. Portanto, a Prefeitura combateria esta suposta especulação, apoiando e facilitando para aqueles que querem parcelar suas áreas, a fazê-lo. Mas ao invés disso, de apoio, encontram é uma Prefeitura armada até os dentes para inviabilizar os projetos de loteamentos urbanos.

Tem loteadores que estão a mais de três lutando para macro ou micro parcelar suas áreas, e não conseguem.
O aumento do IPTU apenas cria mais obstáculos à população para adquirir seu terreno, pois,os custos de um loteamento sobem absurdamente, quando o IPTU é alto, ACIMA DA REALIDADE, COMO NO CASO DE PALMAS.

Ao contrário do que diz o Prefeito, IPTU barato, barateia o custo do loteamento. O povo não sabe, ou muitos não sabem, mas UM LOTEAMENTO URBANO É TODO BANCADO PELO LOTEADOR, que é obrigado, além do planejamento, a fazer toda a infraestrutura do empreendimento, como asfalto, canalização de água e esgoto, distribuição de energia, limpeza da área, etc.

Nada disso tem nenhum custo para a Prefeitura, O CUSTO É TODO DO LOTEADOR. A Prefeitura arrecada sem nada fazer no local, pois, até mesmo as áreas para construção de edifíciospúblicos,devem estar disponíveis,nos micros parcelamentos,e são repassadas ao Município, SEM NENHUM CUSTO PARA A MUNICIPALIDADE.

A Prefeitura arrecada terras e dinheiro, sem nada fazer, sem prestar nenhum serviço. Basta dar uma olhada nos empreendimentos já existentes na cidade, que as áreas destinadas ao poder público, não são usadas, não se faz nada. Estas áreas são para construção de praças, escolas, postos de saúde, postos policiais, creches, áreas de lazer, etc. Mas nada é feito.

Portanto, QUANTO MAIS ALTO FOR O IPTU, QUANTO MAIS ENTRAVES FOREM COLOCADOS AO LOTEADOR, NA HORA DE MACRO OU MICRO PARCELAR SUA ÁEREA, MAIS CARO FICA O LOTE AO CONSUMIDORFINAL, O POVO.

A Prefeitura de Palmas, na gestão Amastha vai na contramão do Estatuto das Cidades, Lei Federal 10.257/01 que determina em seu artigo2º, itens XV e XVI, que o Município deva facilitar para que os loteamentos sejam realizados RAPIDAMENTE e, com isso, baixar os custos dos mesmos, que, consequentemente, refletirá no preço final para venda.

Na verdade o IPTU ALTO do Prefeito Amastha, tem como objetivo “TOMAR AS TERRAS DOS PROPRIETÁRIOS”.

A LÓGICA É SIMPLES: primeiro impede o proprietário de lotear sua área, criando todo tipo de entrave na aprovação do projeto de micro parcelamento, depois aumenta estratosfericamente o IPTU - o proprietário não tem como pagar, pois tem a terra, mas não tem dinheiro - posteriormente a Prefeitura executa a dívida estratosférica e assim, toma parte da propriedade através de penhora. RAPIDAMENTE EM DOIS OU TRES ANOS, já tomou toda a propriedade do seu proprietário.

Assim, anexada ESTA ÁREA AO PODER PUBLICO, basta fazer parceria privada com alguma empresa de Santa Catarina ou do Paraná e se loteia rapidamente a área. QUEM VAI GANHAR DINHEIRO COM OS BENS ALHEIOS? A resposta é fácil, é como a BLUE. É do Paraná! Nosso dinheiro vai embora e o proprietário fica na miséria e ainda com o nome sujo.

Na verdade existe uma MÁFIA ATUANDO SOB A ÉGIDE DE UMA SUPOSTA LEGALIDADE. Este esquema envolve também o novo Plano Diretor de Palmas.

O Prefeito quer dividir a cidade em áreas ou etapas, onde uma casa só pode ser construída à distância de 45 a 150 m uma da outra. São os chamados loteamentos Gold, lá em Curitiba, SÓ PRA RICO. Isso vai elevar os preços dos lotes a 500 mil até um milhão de reais. Quem vai poder comprar? O POVO SERÁ JOGADO CADA VEZ MAIS PARA A PERIFERIA, LONGE DO CENTRO DA CIDADE, ONDE ESTÃSO OS EMPREGOS.

O esquema é parecido com o usado na área onde foi construído o SHOPPING CAPIM DOURADO. Primeiro desapropriou o dono por uma ninharia, determinando que se tratava de área de preservação ambiental. Posteriormente, depois de tomar a área do proprietário, retirou a área do instituto da preservação ambiental e, a área, ou parte dela,foi repassada ao grupo do Carlos Amastha, que pagou um preço simbólico pelo terreno e nele construiu seu shopping e, o proprietário da área, ficou na miséria.

Agora o Prefeito Amastha – que quer ser governador, e é bom que os proprietários rurais prestem bem atenção nisto, que está acontecendo em Palmas - ataca os proprietários de áreas em Palmas, impedindo que estes dê o fim social à sua área e, posteriormente, os taxa violentamente e ainda vai para mídia, acusar os proprietários de serem especuladores imobiliários.

No entanto, os proprietários dessas áreas – com exceção da EMSA, grande proprietária na cidade, e sobre a qual o Prefeito não diz uma palavra – todos os outros que possuem áreas na capital, desde antes de Palmas existir, ou de se imaginar que aqui seria construída uma cidade, tem sido constantemente perseguidos pelos ocupantes do poder.

Primeiro cancelaram ilegalmente seus registros e após o restabelecimento destes registros, diversas ações foram forjadas pelos poder publico, PARA OBSTAR QUE O PROPRIETÁRIO TIVESSE A POSSE COMPLETA DE SEU BEM.

Foram desapropriações, decretos de possíveis desapropriações, decretos de áreas ambientais, demora na aprovação de um macro parcelamento e de micro parcelamento. Em média se leva quase três anos ou mais para conseguir aprovar um loteamento, o que é um absurdo e isto encarece o empreendimento.

O que a Prefeitura devia fazer é o que está especificado noart. 2º da citada lei que determina no seu item IX – “justa distribuição dos benefícios e ônus decorrentes do processo de urbanização” e o determinado no art.4º que prevê o apoio municipal através: c) “incentivos e benefícios fiscais e financeiros”.

A maioria dos proprietários que o Prefeito, irresponsavelmente, diz dever ao município, NA VERDADE NÃO DEVEM NADA, pois quem estava na posse do bem era o Estado e não o proprietário. É FARTA A JURISPRUDÊNCIA DOS TRIBUNAIS SUPERIORES sobre a NÃO INCIDÊNCIA de IPTU quando o proprietário não tem a posse plena de seu imóvel urbano.

Muitos já estão entrando na justiça, para anular estas cobranças indevidas e ilegais e, isto, ainda resultará em ação de danos contra o Município, em razão dos danos materiais e morais causados aos proprietários, que tiveram seus nomes enxovalhados, protestados e se sentem como se fossem párias desta cidade.

A desonestidade destas atitudes do Prefeitoé flagrante. Infelizmente O PREFEITO AMASTHA NÃO FALA A VERDADE, e agora quer jogar a população contra estes proprietários, os acusando de especulação imobiliária. ISTO É UMAMENTIRA DESCARADA, CABELUDA E DESAVERGONHADA DO PREFEITO.

O Prefeito mais uma vez engana a população de Palmas, o que tem sido a marca de sua administração, só enganação.
MAS A JUSTIÇA SABERÁ LHE IMPOR LIMITES E OBRIGÁ-LO A RESPEITAR OS CIDADÃOS DESTA CIDADE. Serão muitos os processos.

Eder Barbosa de Sousa.

AASJN participa do lançamento da Encíclica do Papa Francisco

AASJN participa do lançamento da Encíclica do Papa Francisco

sexta, 28 de agosto de 2015, às 18h 06min
Numa noite de orientações sobre a proteção da natureza, admiração pelo planeta terra, leitura e distribuição de mudas representantes da Associação Ação Sociais Jesus de Nazaré – AASJN participaram na quinta-feira, 28 de agosto, do lançamento da Encíclica do Papa Francisco, evento realizado pela Arquidiocese de Palmas, no Parque Cesamar.

A Encíclica que é uma Carta Circular feita pelo Papa para a população do mundo inteiro, traz como título: Louvado Seja, baseado no cântico de São Francisco de Assis, tendo como mensagem principal a preservação da natureza.

Para o presidente da AASJN, Jocel Santiago, o evento vem despertar a população para a importância da mãe terra. “O nosso planeta deve ser cuidado, e nós enquanto cidadãos devemos ter consciência de preservar a casa onde moramos, e pensar o futuro de todos, pois já estamos vivendo crises como: a falta de água, matas sendo destruídas, dentre outras ações causadas pelo homem, as quais agridem diariamente o mundo em que vivemos. Isso já está trazendo consequências sérias para a população mundial”. Destaca o presidente.

Participaram do evento o Arcebispo de Palmas, Dom Pedro Brito Guimarães, a vice-governadora do Estado, Claudia Lelis, representantes das comunidades católicas, dos catadores, a equipe da AASJN, dentre outras pessoas que levaram uma mensagem de preservação do meio ambiente, e destacaram ações que estão sendo realizadas nessa área.
(D Ascom AASJN – Íris Silva)

Defensores de criminosos são iguais a eles ou a Canalhocracia no poder

Defensores de criminosos são iguais a eles ou a Canalhocracia no poder

quinta, 16 de janeiro de 2014, às 10h 10min

Defensores de criminosos são iguais a eles ou a Canalhocracia no poder

Em artigo, Fernando Lins faz uma análise das causas da criminalidade e diz que 'cruel aberração é a total inversão de valores promovida por setores do governo cuja obrigação é a defesa da Justiça'

A criminalidade no Brasil tem inúmeras causas. As principais, não necessariamente em ordem de importância são:

• A péssima educação pública, que não capacita as pessoas para a vida em sociedade;

• A inoperância das leis criminais, que ao invés de punir protegem os criminosos;

• A disseminação no uso de entorpecentes ilegais e legais, como o álcool;

• A influência perniciosa dos meios de comunicação, que enaltecem o crime;

• A proteção dada aos criminosos e a execração das vítimas e da Polícia, e;

• A desonestidade de autoridades que desviam recursos públicos que faltam ao povo.


Examinemos rapidamente cada uma delas. A Educação é um processo de formação das capacidades física, intelectual e moral do ser humano, visando o desenvolvimento de suas aptidões para a realização de suas capacidades e aspirações e sua integração à vida em sociedade.

Antigamente, havia a disciplina de Educação Moral e Cívica, que ensinava às crianças e aos jovens os seus direitos e principalmente seus deveres. E também uma grande ênfase no ensino do português, matemática, história, ciências etc., de modo a formar bons cidadãos desde a mais tenra idade.

Ao mesmo tempo se valorizava a disciplina e o respeito aos mestres. Hoje, as escolas públicas tornaram-se instrumentos de ideologização e estupidificação dos alunos, promovendo a libertinagem como política e distorcendo totalmente o verdadeiro sentido da educação.

Em seguida a Justiça. As leis criminais e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) seriam uma pilhéria, se não fossem uma das maiores causas da criminalidade, pois pela lentidão e leniência infelizmente fazem com que o crime compense no Brasil.

Nos países mais avançados, a Justiça é célere e rigorosa; mesmo criminosos de colarinho branco são presos, julgados e sentenciados sem demora, e cumprem penas proporcionais aos crimes cometidos, sem favorecimentos que distorcem o senso de justiça aos olhos do cidadão comum.

Da mesma forma, em alguns destes países a maioridade penal começa a partir dos 8 anos, como nos Estados Unidos, ou 10 na Inglaterra, 13 na França, ou 14 anos, na Itália e na Alemanha. É inegável que os países citados estão entre os mais democráticos do mundo.

Pergunte-se então: quantos crimes hediondos são cometidos por menores de 18 anos nestes países? Praticamente nenhum! É que nestes países, os menores de 18 anos sabem que se cometerem crimes, serão julgados e punidos rigorosamente de acordo com a gravidade dos mesmos.

Apenas um exemplo: há alguns anos na Inglaterra, dois jovens, um de dez e outro de onze anos, sequestraram um bebê num shopping center, torturam-no e o amarraram nos trilhos de uma ferrovia, para verem-no sendo esmagado pelas rodas do trem.

Identificados pelas câmeras de segurança do shopping, foram presos, tiveram seus nomes e imagens fartamente divulgados pelos meios de comunicação, foram julgados e condenados e cumpriram suas penas integralmente, sendo obrigados a se reportar periodicamente à Justiça, dando conta de suas atividades.

Um deles reincidiu na criminalidade e voltou a ser preso, com sua libertação seguidamente negada pela Justiça. Isto demonstra a eficácia da redução da maioridade penal para coibir a criminalidade infanto-juvenil. É inaceitável que autoridades defendam tais monstros.

A disseminação do uso de substâncias entorpecentes no Brasil, tanto as legais como as bebidas alcoólicas quanto principalmente as drogas ilegais, assumiu a dimensão de verdadeira tragédia, sendo um dos principais estímulos à criminalidade, por diminuir a consciência do mal e pelo custo da manutenção do vício, que obriga suas vítimas ao delito, para sustentá-lo.

Sob todos os aspectos, as drogas são indissociáveis dos crimes. Desde a violência inerente ao trafico até o fato de que a quase totalidade dos criminosos comete os crimes sempre sob a influência de drogas e álcool, bem como pela marginalização que os viciados sofrem.

As drogas, legais e ilegais, são um dos maiores fatores da verdadeira destruição de seres humanos, de suas famílias e da sociedade, que sofremos cotidianamente as consequências dos crimes e da violência cada vez maior que nos aflige.

As drogas mais danosas hoje são o crack e a cocaína, ambas extraídas da folha da coca, uma planta que não é produzida no Brasil. Os principais produtores da coca são a Bolívia, o Peru e a Colômbia, países com os quais o Brasil tem extensa fronteira, por onde se infiltram os traficantes. Urge, portanto, que as autoridades responsáveis envidem todos os esforços para coibir o tráfico destes e de outros entorpecentes, eliminando o mal pela raiz.

É pois de estarrecer ver autoridades, que tem o dever constitucional de defender a sociedade contra o crime, apregoarem a liberação das drogas. Com a proibição e o combate em prática a escalada das drogas já atingiu proporções epidêmicas, com a abominável liberação se tornará uma verdadeira catástrofe. Ou será que é exatamente isto que os governantes querem?

Outra séria agravante da criminalidade é a dissolução moral promovida por alguns meios de comunicação, principalmente pela televisão. É lastimável que um dos mais poderosos instrumentos de comunicação da humanidade, que deveria ser empregado na educação, formação e informação das pessoas, no entretenimento sadio e na promoção da paz e da harmonia tenha sido indevidamente apropriado por empresas e organizações que o desvirtuaram completamente.

Alguns dos programas de maior audiência, tais como novelas, “reality shows” e programas policiais “mundo cão” promovem e glorificam todo tipo de comportamento imoral, depravado ou criminoso, degradando os costumes e estimulando às práticas criminosas.

É rara a novela que não tenha cenas de sexo, ou cujo enredo não tenha personagens de destaque tramando e cometendo o assassinato de outros, agindo desonestamente, roubando, traindo, propagandeando e exercendo a prostituição, cometendo adultério, amoralidades e outras perversões. Atualmente, até o tráfico de pessoas é apresentado sob uma ótica favorável.

Os desonestos, os vilões, os maus são personagens que tem o modo de vida glorificado, são os “bacanas,” apresentados de forma favorável, de modo a instilar na mente dos espectadores que tais comportamentos são não só aceitáveis, mas desejáveis, que os fins justificam os meios e que compensa violar os direitos de outros em benefício próprio. Isto causa um efeito maléfico nas mentes das pessoas sem consciência crítica, pois aprova e estimula a criminalidade.

Outra cruel aberração é a total inversão de valores promovida por setores do governo cuja obrigação é a defesa da Justiça e dos Direitos Humanos, como os respectivos ministérios.

Quando uma ministra como Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos da presidência da República corre a defender os “Direitos Humanos” dos criminosos ou o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo faz pior, ao se opor à redução da maioridade penal, na realidade estão dando recado à sociedade e aos criminosos de que o governo compactua com a criminalidade, de que é aceitável infringir as leis, pois as punições, quando ocorrem, são brandas!

Quem tem que ter seus direitos humanos protegidos são os cidadãos de bem. A Declaração Universal dos Direitos Humanos, criada pela Organização das Nações Unidas em 1948, e adotada por mais de 180 países, inclusive o Brasil, estabelece que: “Todos temos o direito à vida, e a viver em liberdade e segurança.” (Grifo do autor). Além disso, o direito à vida é um valor universal protegido pela nossa Constituição, o que significa que o Estado Brasileiro tem a obrigação de garantir o direito à vida.

Qual a razão de a vida ter sido colocada em primeiro lugar na Declaração da ONU? Por se constituir no bem mais valioso de cada ser humano. Todos nós recebemos o dom da vida, a vida para cada um de nós tem uma série de propósitos. Portanto, os criminosos que tiram a vida ou ferem a integridade física ou mental dos outros jamais devem ser a prioridade do governo.

Evidencia-se então que a principal razão do governo defender os criminosos é defender a própria classe. Infelizmente o governo federal tornou-se uma Canalhocracia (não é invenção de palavra, encontra-se nos dicionários), em que integrantes do mais alto escalão da República formam quadrilhas para saquear os cofres públicos, como evidenciado na Ação Penal 470, o malfadado Mensalão, chefiado pelo ministro José Dirceu, da Casa Civil do presidente Lula.

Isto nos leva à principal causa do monstruoso aumento da criminalidade no Brasil, o desenfreado assalto aos cofres públicos promovido por grande parte dos políticos e autoridades em todos os níveis de governo. Por dois motivos principais: primeiro, por privar a sociedade dos recursos que deveriam ser empregados na educação, na saúde, na segurança, na melhoria das condições econômicas, em que estariam gerando empregos, desenvolvimento e novas riquezas.

Em segundo lugar, pelo péssimo exemplo dado à sociedade. Quando governantes exploram a miséria, roubando os recursos da merenda escolar, das obras públicas, dos investimentos e ficam impunes, zombando dos cidadãos de bem, estão demonstrando que o crime compensa no Brasil, e estimulando os prejudicados de baixos valores morais a fazerem o mesmo.

Quando governantes apoiam abertamente especuladores que criam “fortunas” do nada, como castelos de areia que são varridos pela primeira onda na praia, e forçam o governo a cobrir o prejuízo com recursos públicos, estão promovendo a imoralidade e a ilegalidade.

Quando um governante confraterniza abertamente com empresários corruptos, com os quais promove concorrências fraudadas e o aumento de custos de bens e serviços adquiridos pelo governo, obtendo enriquecimento ilícito e escapando às Leis, afrontam a Sociedade.

Quando quadrilheiros condenados por crimes contra o patrimônio público fazem todo tipo de manobra para furtar-se ao cumprimento das suas penas, escarnecem da Justiça.

Disse Ruy Barbosa, em eloquente discurso no Senado: “Ou restaure-se a Moralidade ou locupletemo-nos todos!” Como é inaceitável que se locuplete quem quer que seja à custa dos suados recursos da sociedade, é urgente que se restaure a Moralidade. Cumpre aos cidadãos e cidadãs de bem exigir o rigoroso cumprimento das Leis e a aplicação intransigente da Justiça. A Canalhocracia nos levará à ditadura. Urge defender nossa duramente conquistada Democracia.

Até a próxima.










A Pizzaria Google. Breve será assim ...

A Pizzaria Google. Breve será assim ...

terça, 01 de outubro de 2013, às 11h 37min
A Pizzaria Google
Breve será assim ...


Trimmmm....

- Pizzaria Google, boa noite!
- De onde falam?
- Pizzaria Google, senhor. Qual é o seu pedido?
- Mas este telefone não era da Pizzaria do...
- Sim senhor, mas a Google comprou a Pizzaria e agora sua pizza é mais completa.
- OK. Você pode anotar o meu pedido, por favor?
- Pois não. O Senhor vai querer a de sempre?
- A de sempre? Você me conhece?
- Temos um identificador de chamadas em nosso banco de dados, senhor.
- Pelo que temos registrado aqui, nas últimas 53 vezes que ligou, o senhor pediu meia quatroqueijos e meia calabresa.
- Puxa, eu nem tinha notado! Vou querer esta mesmo...
- Senhor, posso dar uma sugestão?
- Claro que sim. Tem alguma pizza nova no cardápio?
- Não senhor. Nosso cardápio é bem completo, mas eu gostaria de sugerir-lhe meia ricota, meia rúcula.
- Ricota ??? Rúcula ??? Você ficou louco? Eu odeio estas coisas.
- Mas, senhor, faz bem para a sua saúde. Além disso, seu colesterol não anda bom...
- Como você sabe?
- Nossa Pizzaria tem o banco de dados mais completo do planeta. Nós temos o banco de dados do laboratório em que o senhor faz exames
também. Cruzamos seu número de telefone com seu nome e temos o resultado dos seus exames de colesterol. Achamos que uma pizza de
rúcula e ricota seria melhor para sua saúde.
- Eu não quero pizza de queijo sem gosto e nem pizza de salada. Por isso tomo meu remédio para colesterol e como o que eu quiser...
- Senhor, me desculpe, mas acho que o senhor não tem tomado seu remédio ultimamente.
- Como sabe? Vocês estão me vigiando o tempo todo?
- Temos o banco de dados das farmácias da cidade.
A última vez que o senhor comprou seu remédio para Colesterol faz 3 meses. A caixa tem 30 comprimidos.
- Porra! É verdade. Como vocês sabem disto?
- Pelo seu cartão de crédito...
- Como?!?!?
- O senhor tem o hábito de comprar remédios em uma farmácia que lhe dá desconto se pagar com cartão de crédito da loja. E ainda parcela em 3 vezes sem acréscimo... Nós temos o banco de dados de gastos com cartão na farmácia. Há 2 meses o senhor não compra nada lá, mas continua usando seu cartão de crédito em outras lojas, lojas, o que significa que não o perdeu, apenas deixou de comprar remédios.
- E eu não posso ter pago em dinheiro? Agora te peguei...
- O senhor não deve ter pago em dinheiro, pois faz saques semanais de R$ 250,00 para sua empregada doméstica. Não sobra dinheiro para
comprar remédios. O restante o senhor paga com cartão de débito.
- Como você sabe que eu tenho empregada e quanto ela ganha?
- O senhor paga o INSS dela mensalmente com um DARF. Pelo valor do recolhimento dá para concluir que ela ganha R$ 1.000,00 por mês. Nós
temos o banco de dados dos Bancos também. E pelo seu CPF...
-ORA VÁ SE DANAR !
- Sim senhor, me desculpe, mas está tudo em minha tela. Tenho o dever de ajudá-lo. Acho, inclusive, que o senhor deveria remarcar a consulta
que o senhor faltou com seu médico, levar os exames que fez no mês passado e pedir uma nova receita do remédio.
-Por que você não vai à m....???
- Desculpe-me novamente, senhor.
-ESTOU FARTO DESTAS DESCULPAS. ESTOU FARTO DA INTERNET, DE COMPUTADORES, DO SÉCULO XXI, DA FALTA DE PRIVACIDADE, DOS BANCOS DE DADOS E DESTE PAÍS..
- Mas senhor...
-CALE-SE! VOU ME MUDAR DESTE PAÍS PARA BEM LONGE. VOU PARA AS ILHAS FIJI OU ALGUM LUGAR QUE NÃO TENHA INTERNET, TELEFONE, COMPUTADORES E GENTE ME VIGIANDO O TEMPO TODO...
- Sim, senhor... entendo perfeitamente.
-É ISTO MESMO! VOU ARRUMAR MINHAS MALAS AGORA E AMANHÃ MESMO VOU SUMIR DESTA CIDADE.
- Entendo...
- VOU USAR MEU CARTÃO DE CRÉDITO PELA ÚLTIMA VEZ E COMPRAR UMA PASSAGEM SÓ DE IDA PARA ALGUM LUGAR BEM LONGE DE VOCÊ !!!
- Perfeitamente... mas antes posso sugerir uma agência de viagens?
Temos acesso a um sistema que busca os melhores preços...
- E QUERO QUE VOCÊ ME ESQUEÇA!
- Farei isto senhor... ... (silêncio de 1 minuto)
- O senhor está aí ainda?
- SIM, PORQUE? ESTOU PLANEJANDO MINHA VIAGEM... E PODE CANCELAR MINHA PIZZA.
- Perfeitamente. Está cancelada...(mais um minuto de silêncio) - Só mais uma coisa, senhor...
- O QUE É AGORA?
- Devo lhe informar uma coisa importante...
- FALA, CACETE....
- O seu passaporte está vencido !!!............................

"ainda tem gente que acha que nunca foi espionada, pura inocência, é só participar do Google e outros Faces da vida .............."j



































































O LIXO ELEITORAL EM PALMAS E PORTO NACIONAL.(I).

O LIXO ELEITORAL EM PALMAS E PORTO NACIONAL.(I).

segunda, 22 de outubro de 2012, às 10h 41min
O LIXO ELEITORAL EM PALMAS E PORTO NACIONAL.(I).

Por Eder Barbosa.

Não vou falar de outras cidades, porque não acompanhei suas eleições, vou falar de Palmas e Porto Nacional, que acompanhei diariamente. Também não estou me referindo à papelada, que muitos candidatos espalharam pelas ruas, que é crime, quero falar de outros crimes, mais graves, que vi serem praticados na campanha eleitoral, inclusive nos programas eleitorais de rádio e televisão, que é gratuito para os candidatos, mas custa caro para a nação e para o eleitor, obrigado a ouvir impropérios, os mais diversos, diariamente.

Não sou homem de ‘rudiar toco’, quando falo, cito o nome de quem estou me referindo. Em Palmas me refiro ao candidato Marcelo Lelis, que transformou a campanha eleitoral em uma guerra. Lelis, quando se sentiu ameaçado pelo “outro” candidato, partiu sem dó nem piedade, para a baixaria grotesca e ridícula. Rasgou a Constituição Federal e passou a atacar seu principal adversário como se fosse um inimigo. Ora, em política não há inimigos, há adversários, basta dar uma olhada no pai dos burros, para entender a diferença. O comportamento de Lelis foi o do mais puro descontrole emocional, que deixou claro, para o eleitor, que não tinha condições psicológicas e intectuais para governar esta cidade.

Quem costuma ir ao Supremo Tribunal Federal, em qualquer de suas entradas, dá de cara com uma placa assinada pelo Ministro Celso de Melo, decano daquela corte, que entre outras coisas, afirma que a missão do STF é combater o abuso dos governantes e qualquer tipo de discriminação. Lélis foi o pai da discriminação, acusando o “outro” de ser estrangeiro. Ora uma pessoa que pretende governar uma cidade, no mínimo deve conhecer a Constituição do país, que no Brasil, declara que os naturalizados têm os mesmos direitos dos que aqui nasceram. Lélis não conhece isso ou então, acredita que uma eleição é mesmo uma guerra, e que para vencê-la, vale tudo, inclusive rasgar a Constituição da República. Só vemos esse comportamento, nos anais da história, sendo praticado por Hitler, que não aceitava que os judeus, mesmo aqueles nascidos na Alemanha, fossem alemães. E olha que Hitler nasceu na Áustria e era alemão naturalizado, como Lelis que não nasceu no Tocantins, veio de Goiânia. Fora isso, Lelis manipulava notícias, informações, entrevistas e até pesquisas, tudo na intenção de transformar o “outro” candidato em um monstro, que com certeza não é. O “outro” foi, apenas, melhor do que Lelis, na arte do convencimento. Lelis, nessa sua louca paixão pelo poder, embriagado pela inveja que tinha do “outro”, que caiu na graças do povo, esqueceu de fazer o mais importante, apresentar propostas e projetos para a cidade, pois quando não estava atacando “o outro”, estava com aquela ladainha de mudar os pontos ônibus para o canteiro central da Teotônio ou as tais brinquedotecas, pois o resto era repetição cansativa, de velhas promessas de outras eleições, nunca cumpridas e, por consequência, não cativava o eleitor, cansado de ver essas mesmas promessas.

A campanha de Marcelo Lélis transformou-se em uma enfadonha guerra sem ideologia, onde usou a bandeira brasileira, para dizer que era mais brasileiro que o “outro”. Virou caricatura, quando aparecia a história do sou brasileiro, o que vinha à minha mente era a Lady Brega, da novela das sete, que vinha logo após o programa eleitoral, fantasiada de verde e amarelo, com a bandeira do Brasil pregada nas canelas. Em meu inconsciente, quando Lelis aparecia, eu pensava, lá vem o Lady Brega.
A loucura pelo poder, fez o candidato Lelis perder o bom senso e a razão, pois quanto mais batia no “outro”, mais perdia voto, mas estava cego de paixão e não conseguia nem mesmo avaliar, seus erros de campanha. Seu marqueteiro deve ter perdido a noção das coisas, ou então não apitava nada.

Não acho que Siqueira Campos derrotou Lelis, mas que ele próprio se derrotou, com sua falta de inteligência. Uma campanha eleitoral é feita com inteligência, caso contrário, dança, é por isso que uma campanha eleitoral tem de ser reavaliada diariamente.

Quando então, Lelis, resolveu misturar religião com política, acabou por transformar o “outro” em santo, pois este deixou de ser ateu e passou a puxar a reza em seus comícios, e o povo com ele rezava. O Lelis, sem noção, acabou virando o ateu, ninguém acreditava nem mesmo no seu slogan medíocre que dizia: “sou cristão, sou Lelis de coração”. Nem candidato a Papa faz isso.

Não satisfeito, aliciou o candidato Fábio Ribeiro, para ser seu coadjuvante nos ataques ao “outro” e esse candidato, acabou perdendo até para o Abelardo, que toda pesquisa dizia que não pontuava. Mas o Abelardo se saiu muito bem, com seu slogan “a palavra dada”, demonstrou simplicidade, humildade e foi bem mais coerente, se tivesse mais tempo no horário eleitoral, teria muito mais votos.

Enfim, Lelis não fez campanha eleitoral, praticou um monte de crimes eleitorais e penais, sendo que o último foi a história da pesquisa SERPES/Jornal do Tocantins. Uma vergonha, que mesmo com as notas de desculpas, deixou claro que Lelis acreditava que pesquisa falsa muda voto. Ficou feio também para o Jornal do Tocantins e põe o Tião Pinheiro na berlinda, ele sabia ou não sabia que a pesquisa era falsa. Vai passar o resto da vida tentando justificar o injustificável e o Lelis, jogou sua carreira política no buraco e devia se envergonhar pelo lixo eleitoral que protagonizou. Aliás, a contar pelo tanto de panfleto com o resultado da pesquisa SERPES, jogado na porta das seções eleitorais, fica claro que Lelis sabia da mesma há dias, daí ter tido tempo de imprimir e guardar para espalhar na madrugada do domingo de eleições.

O necessário apurar até onde as Organização Jayme Câmara participou dessa fraude, não basta investigar só o SERPES, mas a Jayme Câmara também, que foi quem contratou a pesquisa falsa.

No próximo artigo, vou falar do lixo eleitoral de Porto Nacional, que teve como atores.  Até lá.

Um Festival de Proteção a Bandidos

Um Festival de Proteção a Bandidos

sexta, 08 de junho de 2012, às 12h 56min
A tal CPMI do Cachoeira, não veio para apurar nada, mas para proteger bandidos de todos os naipes e vinculações políticas. Nada ali parece ser sério, ou melhor, sério ali é enganar o povo brasileiro.
A falta de compromisso com a democracia e a nação é tanta, que parece que esta CPMI é apenas um circo aonde os bandidos vão e tiram sarro da cara dos colegas. Tem até musa!

A grande imprensa nacional freqüenta com desenvoltura o picadeiro desse circo, age na defesa de facções políticas e está pouco preocupada se alguns mordomos vão ser sacrificados, desde que os chefes fiquem intactos.
Até agora não se fala em SERRA ou ALKIMIN, que também estão envolvidos com Cachoeira até o cerne de suas almas. Quem não se lembra do rolo do Rodoanel e do Metrô de São Paulo, cuja denuncias de superfaturamento e desvio de dinheiro público, surgiram na campanha presidencial de 2010. A empreiteira é a mesma Delta. Mas ninguém fala nada. É um silêncio sepulcral, inclusive de SERRA e ALKIMIN, que nada dizem sobre a CMPI.

Em um acordo de cavalheiros, entregaram o Perillo e o Agnelo aos leões, para enganar a opinião pública, fingindo que estão investigando, mas, na verdade, protegendo Serra, Alkimin e Sergio Cabral, cujos estados, tem contratos bilionários não licitados ou licitados, mas superfaturados, com esta mesma Delta.

A grande imprensa nacional age com tanta desfaçatez, que a repórter Cristiana Lobo, apresentadora da Globo News, com a cara mais limpa do mundo, disse que Carlinhos Cachoeira era um empreendedor, que ficou milionário. Desde quando que ladrão dos cofres públicos é empreendedor? Ladrão dos cofres públicos fica milionário sim, à custa do sofrimento de milhões de pessoas pobres, mas não é empreendedor, é bandido hediondo.

São esses bandidos, que levam milhares de brasileiros todos os anos pessoas a morte pela violência, pela falta de atendimento médico, pela fome. São bandidos como Cachoeira e esses políticos bandidos, que não deixam este país se desenvolver e realmente se transformar e um estado democrático de direito, onde, o estado de bem estar bem do povo, seja a prioridade.

Já disse diversas vezes que corrupto é um assassino frio e calculista, porque ele não se preocupa com quantos vão morrer pela falta de recursos porque o dinheiro público foi por ele roubado. O corrupto sequer acredita em Deus, pois quem acredita em Deus sabe que existe o inferno e é para lá que vão os bandidos.
Essa CPMI está mesmo servindo de palanque para um monte de caras de pau, que em seus estados participam e se beneficiam de todo tipo de malandragem, mas que na CMPI aproveitam o desconhecimento do povo brasileiro, para se fazerem passar por pessoas honestas, sérias e dignas, assim como o Demóstenes Torres, que estava ficando famoso como um político intransigente com a corrupção, quando, na verdade, era um grande bandido. Tudo porque o povo não sabia nada de sua verdadeira vida e de suas ações em Goiás.

Aqui mesmo no Tocantins, vimos uma senadora esbravejar contra o Cachoeira, dizendo que estava ali para defender o povo e que o povo é quem paga os salários dos parlamentares para trabalhar, chamando o Cachoeira de bandido e cínico. Belo discurso, para quem não conhece a vida publica desta senadora, mas completamente falso.
Fiquei imaginando a indignação daqueles proprietários de terras de Campos Lindos, que tiveram seus bens roubados através de uma desapropriação imoral, e cuja indenização nunca receberam, vendo essa Senadora, beneficiária daquela malandragem, com todo aquele discurso furado.

A Senadora foi uma das pessoas beneficiadas pela malandragem dos corruptos, recebendo conjuntamente com familiares mais de 3.500ha de terras, pertencentes aos lesados proprietários de Campos Lindos, que já vendeu por mais de dez milhões de reais. Tudo isso sem tirar um níquel de seu bolso, pois o povo do Tocantins é quem vai pagar indenização miserável que estabeleceram para aqueles proprietários. Que diferença há entre a Senadora e Cachoeira? Eu não vejo nenhuma, mas o povo brasileiro não sabe disso.

Vi estarrecido, um conhecido blogueiro de Palmas, escrever um artigo indignado, onde atacou dezenas de tocantinenses que ousaram criticar a postura circense da Senadora na CMPI, por serem sabedores, não ser a Senadora, nenhuma virtuose em matéria de política. O blogueiro reclamou que o Brasil inteiro estava elogiando a Senadora enquanto os provincianos e machistas tocantinenses a criticavam, por ter feito todo aquele teatro na CPMI.

Claro, o povo brasileiro não é daqui, e não conhece a história da Senadora, não sabem que ela é beneficiária de uma roubalheira de terras em Campos Lindos, através de uma desapropriação imoral, assim como, até mesmo Senadores, que admiravam Demóstenes Torres, estão hoje abismados com o tamanho de sua cara de pau.
Aliás, esse caso de Campos Lindos, é absolutamente igual ao caso de Rio Largo, em Alagoas, onde já estão presos o Prefeito e todos os vereadores.

O negócio ali foi igualzinho ao de Campos Lindos, onde a Senadora esbravejante e “indignada” com o Cachoeira, se beneficiou da malandragem, que lhe rendeu alguns milhões de reais, que pertencem, na verdade, àqueles proprietários roubados pelo Governo Siqueira Campos, esse mesmo que está aí nas manchetes do jornais, como um dos beneficiários da roubalheira de Cachoeira.

É por isso que considero essa CPMI um grande circo, com centenas de palhaços disputando o picadeiro, para darem seu showzinho particular, no desejo latente dos “espertos”, de fazerem o povo brasileiro acreditar na grande  marmelada que virou as instituições deste país.
Dia sete de outubro tem marmelada? Tem sim senhor!

A PROMISCUIDADE DE CARLINHOS CACHOEIRA COM O GOVERNO DO ESTADO, PREFEITURA DE PALMAS, SIQUEIRA, EDUARDO, MARCELO E GAGUIM, ALÉM DE DEPUTADOS, PRECISA SER INVESTIGADA COM SERIEDADE.

A PROMISCUIDADE DE CARLINHOS CACHOEIRA COM O GOVERNO DO ESTADO, PREFEITURA DE PALMAS, SIQUEIRA, EDUARDO, MARCELO E GAGUIM, ALÉM DE DEPUTADOS, PRECISA SER INVESTIGADA COM SERIEDADE.

segunda, 16 de abril de 2012, às 13h 04min
A PROMISCUIDADE DE CARLINHOS CACHOEIRA COM O GOVERNO DO ESTADO, PREFEITURA DE PALMAS, SIQUEIRA, EDUARDO, MARCELO E GAGUIM, ALÉM DE DEPUTADOS, PRECISA SER INVESTIGADA COM SERIEDADE.

Pois bem, a cara de pau dos políticos mais importantes deste Estado, veio abaixo.
Nada menos que dois ex-governadores, o atual Governador, o Prefeito da Capital e um ex-Senador da República, estão envolvidos – SIQUEIRA, MARCELO, GAGUIM, RAUL e Eduardo Siqueira – todos entrelaçados, até o pescoço, com o contraventor Carlinhos Cachoeira.

O contraventor era uma espécie de PATRÃO desses políticos. Dava ordem, cobrava compromissos, exigia o dinheiro, contratos fraudulentos e sem licitação, enfim manda em todos neles. Carlinhos Cachoeira – nome de artista de circo mambembe – era o chefe de um grupo criminoso que controlava a vida de um bando de políticos mau caráter e sem vergonha na cara.

Seu poder era tanto, que tinha, além de políticos, promotores de justiça, servidores públicos e até um delegado da Polícia Federal trabalhando para Cachoeira. Em Goiás tem a denúncia de que até um magistrado era empregado de Cachoeira.
O poder do Al Capone do Cerrado, era tanto, que ele é quem determinava quanto ia pagar para esses bandidos de terno e gravata, disfarçados de autoridades.

Cachoeira era como uma centopeia. Seus tentáculos estavam assentados por todo o país, comandando, talvez, um dos maiores esquemas de corrupção e contravenção deste país, que possivelmente tenha a participação de 40% da classe política do país, de Vereador a Senador.

Aqui no Tocantins, sua quadrilha cooptou dois ex-governadores e o atual Governador, além do Prefeito da Capital e deputados. Todos empregados de Cachoeira, com a função de desviar recursos públicos através de licitações fraudulentas – como a do lixo da Prefeitura de Palmas - dispensas ilegais de licitações – como o decreto de emergência, em 2011, do Estado, para recuperação de asfalto de rodovias - e como contrapartida, esses políticos recebiam dinheiro para comprar votos e se reelegerem continuamente.

O MPE/TO, através da 28ª Promotoria Pública, a Promotoria do Patrimônio, baixou Portarias para iniciar as investigações. No entanto, o Promotor Adriano Neves disse, em entrevista ao site CLEBER TOLEDO, que a questão era preocupante. Isso são indícios suficientes de que não haverá uma investigação séria sobre o caso.

Esse caso não é só preocupante, é grave, gravíssimo, pois envolve os quatro principais nomes da política tocantinense hoje.
A posição do Promotor, de considerar a questão apenas preocupante, deixa claro sua parcialidade e a necessidade de uma intervenção do Procurador Geral de Justiça, para designar outro Promotor para o caso. O Promotor tinha de estar indignado e não apenas preocupado.

Esta situação é tão grave, que o Congresso Nacional criou um CPI Mista, para apurar a promiscuidade de políticos com o crime organizado.

Confundir uma situação grave dessas, quando pessoas estão morrendo nos hospitais por falta de verbas para termos uma saúde pública digna, como sendo apenas preocupante, é uma vergonha.

Quando o Promotor que vai apurar caso - cujas relações com o poder são por demais conhecidas - diz ser apenas preocupante, um fato gravíssimo destes, comprovado por escutas telefônicas e com documentos já levantados pela Polícia Federal nas investigações, deixa claro que os negócios criminosos envolvendo o atual Governador, dois ex-governadores, um ex - Senador e o Prefeito da Capital, não serão apurados com a seriedade que o caso exige e a sociedade deseja.

O Presidente da OAB/TO, Dr. Ercílio Bezerra, precisa urgentemente exigir do Procurador Geral de Justiça, Dr. Clenan de Melo Pereira o afastamento do Promotor Adriano Neves do caso e a indicação de outro Promotor, isento, para apurar o caso.
Se o Brasil inteiro se indigna com isso, não é possível que as autoridades constituídas no Tocantins, fiquem apenas preocupadas.

O Tocantins exige que o MPE aja com a mesma rapidez e seriedade com que tem agido contra Prefeitos corruptos.
Ficar munindo a imprensa de ações contra Prefeitos que roubaram ninharia e apenas ficar preocupados com a roubalheira de milhões feitas pelos chefes do executivo estadual, é no mínimo falta de compromisso para com as instituições que representam e, principalmente para com povo, sofrido deste estado.
Espero que a Imprensa deste Estado continue com o compromisso de informar o povo sobre esses crimes e seus autores.

Até a próxima




DEMOSTENES TORRES ENGANOU GOIÁS INTEIRO E TENTAVA ENGANAR O BRASIL.

DEMOSTENES TORRES ENGANOU GOIÁS INTEIRO E TENTAVA ENGANAR O BRASIL.

sábado, 07 de abril de 2012, às 09h 28min

BRASIL: O PARAÍSO DA CORRUPÇÃO.

DEMOSTENES TORRES ENGANOU GOIÁS INTEIRO E TENTAVA ENGANAR O BRASIL.

Se formos pesquisar a dimensão da corrupção que assola o Brasil, com certeza vamos cair o queixo. A cada minuto é divulgada uma pratica corrupta na sociedade brasileira. Seja no executivo, seja no legislativo, seja no judiciário, seja na sociedade como um todo. A corrupção virou cultura no Brasil, atende pelo nome de esperteza ou pelo paradigma de que negócio é negócio e tudo não passa de negócio.

A corrupção se estende a diversos tipos do comportamento humano e está intrinsicamente vinculada ao conceito de esperteza, que é a forma usada nas relações sociais, institucionais, políticas e comerciais, etc., com o fito único de enganar outras pessoas e através disso, conseguir algum tipo de proveito escuso, para si, familiares ou terceiros.

A doutrina jurídica relaciona alguns desses comportamentos de grupos ou de indivíduos humanos, os considerando como formas de corrupção, vejam:

manipular óleo comum para parecer azeite de oliva; adicionar água ao leite ou na gasolina para obter mais lucros;

* fraudar bambas de combustível, para vender menos litros que o registrado e assim aumentar os lucros, roubando o consumidor;

* dificultar a troca de produtos vendidos com defeito;

* deixar de indenizar corretamente expropriados;

* escrever artigos ou reportagens com o propósito de obter vantagens ilícitas;

* produzir e veicular matéria jornalística manipulando fatos e dados para favorecer alguém, grupos, governos ou produtos;

* divulgar notícias fraudulentas e manipuladas;

* praticar o jornalismo de resultados, com o fim exclusivo de ganhar dinheiro mole;

* engarrafar água comum e vendê-la como se fosse água mineral;

* colar nas provas para tirar boas notas sem estudar;

* sistema bancário que cobra tarifas indevidas/exorbitantes e juros altos;

* praticar agiotagem, simular sequestro;

* provocar incêndio para destruir documentos e não pagar dívida;

* fingir-se doente para furar fila;

* induzir pessoas a vender seus bens baratos sob a alegação de que este não tem como resolver;

* aliciar pessoas sob o argumento de que tem influência política;

* provocar acidentes para receber seguro;

* vender alimentos sem certificação de origem;

* furtar no peso ou medida, prática bastante comum no comércio de carnes e peixes;

* dar ou receber propinas;

* comprar eleitores ou dar outras vantagens, a fim de conseguir mandato eletivo;

* formação de cartel para fraudar licitações;

* efetuar acordos partidários espúrios;

* chantagear o voto de matérias no legislativo, para conseguir favores do executivo;

* oferecer cargos a deputados para aprovar projetos no legislativo;

* liberar verbas para deputados em troca de votos no legislativo;

* exercer o mandato em benefício próprio ou de esquemas ilegais,

* exercer a medicina sem observar os princípios éticos da profissão;

* simular doença com a intenção de conseguir auxílio-doença ou aposentadoria;

* criar hospitais, casas de saúde, creche etc., para obter verbas públicas sem oferecer, aos pacientes, medicamentos ou serviços adequados;

* puxar o saco de políticos para obter vantagens ilegais do poder público;

* praticar atos, no exercício de função pública, em proveito próprio, de parentes ou de outros interesses escusos;

* praticar o peleguismo sindical ou criar movimentos sociais com o fim de roubar dinheiro público;

* denunciar fatos, sabidos há muito tempo, para aliviar um grupo político de alguma pressão;

* usar a função pública que ocupa para perseguir e favorecer esquemas;

* derramamento de diplomas, inclusive de nível superior, como pós-graduação, sem observância de princípios legais, buscando apenas o lucro fácil, e assim mediocrizando a educação;

* falsificar os resultados de pesquisas;

* grilagem e invasão de terras;

* oferecer ou divulgar coisas negativas ou criminosas;

* tráfico e uso de entorpecentes;

* favorecer a biopirataria;

* exercerr práticas contra o desenvolvimento do país, usando a vida parlamentar para manter a política de commodities, que impedem a agregação de valor e o aumento do emprego e renda;

* fazer legislação que burocratiza os negócios com o fim de facilitar a propinagem;

* exercer a profissão com fins apenas mercantilistas;

* sonegar contribuições previdenciárias;

* empregar falsos valores na versão de fatos sociais;

* favorecer o proxenetismo, charlatanismo e curandeirismo;

* usar o cargo público para se beneficiar de mordomias;

* controlar a mente humana para fins maldosos;

* praticar atentados;

* espalhar boatos;

* realizar tramas, visando atingir objetivos escusos;

* manipular a opinião pública com pesquisas e dados falsos para induzi-la a creditar que sua vida vai melhorar;

* praticar terrorismo de esquerda, direita ou de estado;

* buscar a desinformação intencional, através da mídia, seja por anúncios ou por matérias jornalísticas incompletas ou manipuladas;

* criar sociedades jurídicas fantasmas para roubar dinheiro público;

* vender condecorações;

* manipular menores para a prática criminosa;

* divulgar matéria publicitária ou jornalística enganosa ou com dados alterados, para favorecer governos, em troca das gordas verbas que os governos destinam à publicidade;

* fraudar transferência de título eleitoral;

* fraudar documentos públicos com o fim de obter vantagem financeira ou patrimonial;

* anular títulos de venda de terras públicas sem o devido processo legal;

* forjar processos para impedir que a parte adversa possa exercer sua ampla defesa e o contraditório;

* magistrados que não julgam processos, com o nítido desejo de prejudicar uma das partes;

* vender sentença;

* forjar milagres, se intitulando iluminado ou mensageiro de Deus;

* autoflagelação;

* praticar o fanatismo, como forma de congregar pessoas e delas arrancar o dízimo, intitulando-se de mediador entre os homens e Deus;

* predizer o futuro por meios fraudulentos, explorando a boa fé dos fiéis;

* fazer exorcismo, dizendo que está afugentando o demônio ou simular possessão demoníaca;

* prometer vagas no céu, criando correntes de fé mediante paga;

* sacrificar animais em sessão de feitiçaria;

* praticar o esoterismo enganoso;

* adulterar documentos, remédios, bebidas, alimentos, etc.;

* depositar dinheiro de outrem ou de repartição pública, em conta particular;

* falsificar obra de arte;

* rotular pessoas com o fim de desqualifica-las perante a sociedade;

* simular o preço de concorrência pública para favorecer previamente um licitante; sonegar tributos; mentir aos eleitores com promessas que não vai cumprir; fazer propaganda política mentirosa para atingir o adversário; mentir para os filhos;

* enganar a esposa;

* escrever novela onde o vilão ou vilã sai ileso, sem sofrer nenhuma penalidade;

* propagar e defender os mais diversos tipos de preconceito, visando desqualificar pessoas no nítido desejo de prejudica-las;

* não pagar corretamente os trabalhadores* não assinar a carteira de trabalho dos trabalhadores;

* não pagar o vale transporte;

* escravizar trabalhadores;

* prestar informações falsas, mentir em juízo ou fora dele;

* fazer pareceres manipulados para favorecer pessoas ou grupos em troca de pagamento;

* defender com falta de ética, mentindo ou enganando magistrado.

Enfim, todo tipo de comportamento, que de uma forma ou outra, favoreça ilicitamente alguém ou grupo ou, ainda, que prejudique outras pessoas, são considerados comportamentos corruptos, advindos de uma deformação do caráter.

O que a classe política e a elite que detém o poder no Brasil e grande parte da própria sociedade brasileira vêm fazendo, são práticas corruptas, que prejudicam o pais inteiro, que defenestram a nação, criando nos jovens e na sociedade o paradigma de que o bem não vale nada e que o mal sempre prospera.

É em razão disso que o comportamento do Senador DEMOSTENES TORRES tomou um grau maior, pois seu posicionamento no Senado Federal, como paladino da honestidade, era pura enganação, pois na verdade estava envolvido, até o cerne de sua alma, com o crime organizado e com a corrupção.

DEMOSTENES TORRES vai entrar para história como o artista da palavra, como um ator que representou muito bem o papel de um político honesto, mas sendo, ele próprio, um tremendo desonesto. Enganou o povo goiano como ninguém e já estava enganando a muitos incautos brasileiros. Como um ator, saiu-se muito bem, talvez melhor que o ator MARCELO SERRADO, que representou o Crodoaldo Valério, da novela Fina Estampa.

Creio que os cineastas poderiam fazer um belo filme sobre a trajetória do Senador Demostenes e ter, ele próprio, como o ator principal, representando a si mesmo. Como ator ele é perfeito.

Mas atores como DEMOSTENES, não estão sós, estão espalhados por toda a sociedade e dominam os partidos políticos, que no Brasil de hoje, não passam de quadrilhas organizadas sob o manto da lei eleitoral.

As eleições veem aí, e o melhor número de um candidato ainda é o Zero. Digite zero e confirme, assim não estará o eleitor, COLOCANDO no poder, com seu voto, os tantos DEMOSTENES que estão se candidatando a Prefeito.

Com uma classe política tão podre, como a que temos hoje, o voto nulo é a única opção!


Até a prróxima.

FORTALECIMENTO DO CNJ E O FIM DE UMA ERA. /// ACABOU O SISTEMA DE CASTAS NO BRASIL.

FORTALECIMENTO DO CNJ E O FIM DE UMA ERA. /// ACABOU O SISTEMA DE CASTAS NO BRASIL.

quarta, 08 de fevereiro de 2012, às 10h 10min
FORTALECIMENTO DO CNJ E O FIM DE UMA ERA.
ACABOU O SISTEMA DE CASTAS NO BRASIL.

O Ministro César Peluso, Presidente do STF, fez um dos piores discursos que um homem público poderia fazer, durante a seção de abertura do ano no judiciário. A pérola, lançada ao ar, pelo Ministro, foi a de que “só uma nação suicida pode degradar o judiciário”, numa clara referência à crise de credibilidade que o judiciário vem sofrendo nos últimos, com as constantes denúncias de corrupção no seio da elite do judiciário nacional.

Foi uma inversão total de valores. A degradação do judiciário nacional vem ocorrendo, exatamente, porque os princípios democráticos não são bem vindos no seio da magistratura. Não há democracia, quando instituições se fecham em copas, não aceitando o controle social da sociedade.

A crítica e a denúncia, para se exigir transparência, são os únicos expedientes de que dispõe a sociedade, para exatamente não permitir a degradação das instituições. É o contrário do que disse o Ministro. Foi por causa da corrupção no seio da política, que fez com que a sociedade brasileira se levantasse exigindo uma lei, para por fim aos corruptos, a chamada Lei da Ficha Limpa, que já vai vigorar nessas próximas eleições.
As criticas da sociedade ao judiciário, tem ao contrário do que imagina o Ministro Peluso, exatamente, a vontade da nação de não permitir que uma minoria de corruptos togados, transformem o judiciário em uma instituição sem valor e desnecessária, útil apenas aos interesses escusos de grupos e poderosos.

A nação inteira, de há muito, reclama do judiciário. Reclama de decisões, muitas das vezes, ao inverso do que determina a lei, reclama de sua proposital lerdeza, reclama dos juízes desonestos que em razão de seus crimes, ao invés de irem para a cadeia se aposentam e vivem às custas da própria sociedade a qual fizeram mal.
É a esperança por justiça, que leva os cidadãos ao mundo jurisdicional e se a justiça não é feita, por aqueles que a sociedade paga e paga muito para exercer a justiça, a sociedade se esvai, se enfraquece e se queda desesperançada. Um povo desesperançado, perde sua identidade como nação. Um povo desesperançado, deixa de crer na nação e deixa de amar seus símbolos.

O Ministro Peluso, em sua contundente fala opaca, disse que o judiciário nacional, nesses últimos tempos, melhorou como nunca se viu neste país, declarando que temos hoje o melhor judiciário que este país já teve. Nesse ponto concordo com o Ministro, pena que ele não teve a coragem e grandeza cívica de dizer que essa melhora ocorreu, exatamente, em razão da atuação enérgica dos dois últimos Corregedores Nacional de Justiça, Gilson Dipp e Eliana Calmon.

A Corregedoria Nacional de Justiça, do CNJ, é a única responsável por esta melhora, e é exatamente contra o CNJ – e que ele Peluso, por circunstâncias do cargo, ocupa a Presidência – que o Ministro Peluso tentou trucidar.
Os argumentos do Ministro no seu discurso, mais que um libelo para a história, vai ficar como um tapa na cara da sociedade e quando se aposentar em abril, ninguém mais dele vai lembrar ou recordar, a não ser para dizer que foi um dos piores Presidentes que o STF já teve.

A grandeza da função pública está na capacidade de quem a ocupa, de entender os anseios da nação, que são sempre, incomensuravelmente, maiores que os anseios pessoais ou corporativos.
De 1930 para cá, nosso povo não se lembra quais foram seus Presidentes, mas o povo todo, de jovens deste século a velhos do século passado, sabe quem foi Getúlio Vargas e quem foi JK. É essa diferença que faz história, história da qual, com certeza, o Ministro Peluso não fará parte.

Outro que inverteu completamente os valores democráticos, foi o atual Presidente do TJ/SP, quando disse que a atuação do CNJ se equiparava aos inquéritos da ditadura. Na verdade, quem não aceitava ser fiscalizado, criticado ou denunciado, era a elite da ditadura. Só não aceitam críticas, aqueles que se acham acima do bem e do mal, como os militares e como certos grupos de magistrados.

Os militares, quando se defrontavam com a crítica, rapidamente transformava em subversivo, quem os criticava e os enquadravam na lei de Segurança Nacional. Os militares não aceitavam críticas, achavam que quem os criticavam estavam destruindo a nação – era p tempo do Brasil, ame-o ou deixe-o - no mesmo estilo do Ministro Peluso, que acha que quem critica o judiciário, está degradando a instituição judiciária.

Da mesma forma pude ver, nos mais diversos blogs, que inundam as redes sociais na internet, magistrados se dizerem serem pessoas inteligentíssimas porque passaram em concurso público, declarando ser tudo uma questão de inveja. Concurso público é decoreba de apostilas surradas. Tem-se juízes, por aí, que passaram dez anos fazendo concurso. Concurso não é cultura e muito menos sabedoria. Nunca vi gente inteligente, sábios, dizerem asneiras como estas. Platão, um dos maiores filósofos da humanidade, dizia a milhares de anos atrás: “quanto mais sei, mais sei que nada sei”. Essa é a primicia da inteligência. Simplicidade, singeleza e humildade, é primazia dos sábios.

Fora de série, acima da média, são os cientistas que descobrem doenças e as formas de curá-las. Fora de série é quem cria vacinas que salvam milhões de vidas. Fora de série e de inteligência superior, são todos aqueles, que no anonimato e sem regalias ou imorais abonos salariais, descobrem formas de produzir mais alimentos para a cada vez mais crescente humanidade se alimentar. Cientistas sim, são seres de outro naipe, estão acima da média e normalmente são humildes.

Juiz, é apenas um funcionário público, que tem a função de fazer a sociedade cumprir as leis, feitas pelos legisladores para dar ordenamento e paz social. Juiz não cria nada, é um trabalho repetitivo, a mesmíssima coisa o tempo todo, assim como o Promotor e o advogado. Ambos não criam nada e em nada acrescentam para a melhoria da humanidade.

No julgamento dessa idiota ação impetrada pela a AMB contra o CNJ, o que mais chamou a atenção foi a pavonice de grande parte dos membros do judiciário, alguns agindo como se fossem artistas, galãs de televisão.

Gostei mesmo foi das mulheres, ambas as Ministras, que largavam esse latinês ultrapassado, e falavam a língua que o povo entende. Espero que nas próximas vagas a serem preenchidas no STF – e este ano pelo menos duas vagas surgirão – sejam preenchidas por mais duas mulheres, para vermos se arejam o STF. Alguns dos Ministros, pareciam que na verdade falavam “javanês”, se Lima Barreto ainda estivesse entre nós, poderia escrever um libelo parodiando o homem que falava javanês, como o ministro que falava latinês.

Por fim diria: graças a Deus, lá em Brasília, pelo menos meia dúzia de juízes e juízas se lembraram, que não se tratava de degradar o judiciário, mas ao contrário, perceberam que o CNJ é a salvaguarda desta instituição chamada judiciário e, principalmente, a salvaguarda desta nação, pois quando judiciário vai mal, a nação inteira padece, com as injustiças e com o arbítrio. Aleluia!!!

Até a próxima.


Anterior 1 2 Próximo 

Mais vídeosVideo Mira

ÍNTEGRA DA REUNIÃO MINISTERIAL: VÍDEO COMPLETO

Comente

  • José Professor
    02/06/20 08h40
    Incrível e inacreditável o que está a acontecer com a "saúde" no município. Ninguém se pronuncia. As...
  • ELISIO FERREIRA
    29/05/20 12h19
    tenham paciencia com a maioria desses grupos de sap. Só nada a ver com o objetivo, Só abobrinha e pior são os...
  • Zilda D. Rodrigues
    27/05/20 19h12
    Gosto muito desse site, Morei ai de 95 a 99, quando passei pro concurso aqui. Sigo sempre o nosso mirajornal. as...
VER TODOS OS COMENTÁRIOS

Jornal Impresso

Em Breve
2010 c Mira Jornal. Todos os direitos reservados.